A casa que habita dentro de você

 In Conceito

Neste momento de retomada do setor imobiliário, em uma época de revisão de leis de zoneamento e discussões sobre novas formas de morar, pergunto: qual a metragem quadrada ideal

para se viver?

As respostas que encontro passam pelo momento de vida de quem irá morar: solteiro, casado, divorciado e/outros. Ou ainda pelo modo como se vive: seja ele compartilhado, individual ou em comunidade.

Mas a reflexão acontece no exato momento em que vêm à tona temas como mindfulness, gratidão, propósito, (re)conhecimento individual e resgate do ser humano em diversos segmentos.

Afinal, o quê é uma casa?

A melhor definição eu li recentemente foi em uma aula de psicologia, filosofia e religião, que definiu que “a casa existe no momento que você precisa morar com outra pessoa”:

“É um lugar que você pode ser totalmente aberto e se sentir à vontade. Um espaço de liberdade.”

E a magia de morar numa casa com alguém está na sabedoria de morar, primeiramente, sozinho. É saber lidar com nossas próprias diferenças.

Daí o surgimento de unidades mínimas e apartamentos casa vez menores?

A resposta não está somente nessa percepção do individuo, mas também na forma de nos comportarmos com o externo.

“Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo e os deuses.”

Membro da AcademiaBrasileira de Letras (ABL), Nélida Piñon escreve que a famosa sentença acima, inscrita à entrada do santuário de Delfos, na Grécia antiga, e difundida por Sócrates, nos convence de que o “homem tem condições de visitar o templo da alma, de percorrer suas salas como se estivesse em um museu, assim podendo, no final desta inspeção, decifrar os próprios mistérios, o tumulto das suas emoções e os sentimentos que leva encarcerados no peito. Balbuciar as muitas línguas que cada qual fala no interior do seu coração”.

Acompanhe notícias, tendências e informações de empreendedorismo, netwroking e setor imobiliário seguindo meu perfil do linkedIn

Desta forma, dentro de nós precisamos “morar” com nossos próprios paradoxos e habitar a nós mesmos de forma segura e harmônica. E perceber que não existem barreiras tão impenetráveis quando tratamos de um ambiente de uma casa.

Arquitetos, decoradores e – por que não? – engenheiros e incorporadores, estão construindo espaços para a moradia da nossa casa, da nossa intimidade, da nossa relação individual de nós, com nós mesmos.

E, de quantos metros quadrados precisamos para habitar a nós mesmos?

Recommended Posts